Biografia

Tereza nasceu no interior do Estado de São Paulo, em Ribeirão Preto, em 25/01/1955, numa família de 5 pessoas: ela, 2 irmãos , a mãe e o pai. Veio para a capital aos 5 anos de idade , no inicio dos anos 60, acompanhando a família que veio tentar uma vida melhor , uma vez que passavam por muitas dificuldades. A primeira moradia da família foi na Av. Conselheiro Moreira de Barros, na Zona Norte.

Por serem muito pobres, conseguiam morar apenas em imóveis sem água e sem energia elétrica. Mesmo após a família comprar um terreno no Mandaqui , só foi possível levantar um cômodo, ainda sem água e sem luz. O banho era de caneca, com água comprada de uma vizinha.

Aos poucos foram construindo mais cômodos, no estilo “faça você mesmo e arque com as consequências”, e puderam se orgulhar em afirmar: “temos uma casa própria”.

Tereza cursou primário no Grupo Escolar Castro Alves , o ginásio e o colegial ela fez no CEPAV. Foi cursar Música na faculdade Mozarteum (ZN) , e pedagogia na faculdade Campos Sales , na Lapa (ZO).
Lecionou por 2 anos, dando aulas de Educação Artística na rede estadual , quando, então, decidiu se dedicar exclusivamente à carreira de cantora.

Cantou em bares e teatros na Capital, no período de 1979 a 1985.

Viveu no Japão por cerca de 5 anos, entre 1985 e 1991. Em sua estadia por lá, cantou em bares e clubes. Foi lá que Tereza investiu em equipamento para, ao voltar para o Brasil, montar seu estúdio de gravação, TC Studio , no Mandaqui, onde trabalha desde aquele período até hoje. Naquela época contou com o apoio do pai que fez toda a parte de marcenaria do Estúdio. Sua mãe colaborava servindo lanche e café.

E foi trabalhando no estúdio que Tereza, como técnica, conheceu muita gente, entre clientes e compositores, vivendo uma experiência importante, tendo , inclusive, escolhido repertorio de alguns deles na autoria de diversas canções.

Como o Estúdio fica em sua residência, Tereza acomodou-se ao trabalho de técnica e , embora não fosse essa a profissão de seus sonhos, foi, aos poucos, deixando de cantar.

Até que chegou num delicado momento de incertezas sobre o que fazer da vida: cantar, fechar o Estúdio, lecionar?
Prestes a completar 50 anos, Tereza decidiu comemorar seu aniversário com um show. Alugou o Crowne Plaza e convidou amigos para assistirem seu show e cantar com ela também.

Após o show de 2005, Tereza inicia a gravação de seu CD. Foi um trabalho que durou 3 anos e, finalmente, em 2009 ficou pronto: COLAGENS, CLONAGENS E ORIGINAIS . O CD está disponível no site dela para presentear pessoas que gostam de música que ela define como eclética-radical.

Mas, embora, gostando muito de cantar, há outros sonhos na vida de Tereza, sonhos que ela transforma em projetos paralelos e propostas, por considerá-los importantes para a sociedade.

Um deles é a composição de música popular, incluindo temas pedagógicos , com conteúdo temático voltado aos Ensino Fundamental e ao Ensino Médio.

Tereza Miguel desenvolveu um projeto intitulado MUSIQUICE, apresentado como oficina por um período de 2 anos (2013 e 2014), nas unidades escolares do SESI, no interior do Estado de SP. É um trabalho que objetiva ensinar crianças e jovens a comporem canções de temas variados, inclusive pedagógicos.
Outro tem a ver com o feminismo construtivo.

Ela se tornou feminista, por convicção da necessidade das mulheres serem vistas, entendidas e percebidas como seres iguais aos homens. Nesse aspecto, Tereza Miguel propõe que sejam adaptadas as formas de se expressar, para eliminar o machismo da utilização usual da língua nativa.

Tereza é adapta do Vegetarianismo por amor à natureza e por amor aos animais.

Ela entende que é preciso um processo de conscientização da sociedade, em relação ao amor pela natureza, o qual, para ser amplo e irrestrito, deve incluir tanto a luta pela preservação de todos recursos naturais, combatendo o desperdício e investindo na redução de consumo, como o abandono da criação de animais como alimento.
Tereza Miguel considera a via parlamentar como o melhor caminha para a construção de uma sociedade mais justa. Mas é preciso que haja uma atuação parlamentar que contemple reformas sérias, que permitam a construção de um espaço político institucional respeitável, sério, honesto e produtivo.
Ela também acredita que o trabalho voluntário é fundamental para a construção de uma sociedade mais justa e mais humana. Por isso defende a ampliação das ações voluntárias, incluindo-as intensamente nas atividades escolares, religiosas, político-partidárias, familiares, culturais e em todo espaço onde houver possibilidade e necessidade de atuação.

Pular para a barra de ferramentas