Câmara Municipal de São Paulo custa meio bilhão por ano aos cofres da cidade

Tereza Miguel

A Câmara Municipal de São Paulo custa aos cofres da cidade mais de meio bilhão anualmente. A despesa diminuiu nos dois últimos anos, mas, mesmo assim, só os vereadores representam um gasto de R$ 180 mil por mês.

A redução drástica de gastos e ampliação da fiscalização do Executivo podem tornar a Casa mais produtiva, o número de assistentes parlamentares que ninguém nunca vê, nunca conversa, não tem rosto é de até 17 por vereador, gastos mensais com folhas de sulfite somam incríveis R$ 6 mil, de apenas um único gabinete, e certamente nem você, nem eu, nem ninguém de nossos amigos recebeu alguma dessas folhas perguntando nossa opinião sobre qualquer coisa.

Gastos com gráfica, correios para fazer propaganda própria ou de seus partidos, assinatura de jornais que raramente lêem ou dão ouvidos as reclamações, transportes e materiais de escritório. Escolhas para esse tipo de gasto variam muito entre os vereadores.

Por exemplo, em junho, vereadores chegaram a gastar entre R$ 15 mil e R$ 19,6 mil só em correios, normalmente direcionados a uma dita “prestação de contas” que mais parecem propagadas política pois nada se ouviu durante longos 3 anos e meio.

Para manter a Casa funcionando, os valores sempre são superlativos.

Só em papel toalha, o gasto anual é de R$ 104 mil, num contrato para fornecimento de 5,5 mil caixas. O contrato para fornecimento de pão francês é de R$ 43 mil por ano, ao preço de R$ 10,85 o quilo, e de água mineral é de R$ 46 mil. Talvez se começarem a apresentar a todos as cotações recebidas, talvez fique um pouco mais compreensível, porém alternativas de minimização de gastos precisa ser apresentada.

A Câmara deveria fiscalizar mais a prefeitura e gastar menos dinheiro, porém, gasta tanto com algo que ninguém vê, que certamente seria necessário que o movimento contrário também não fosse insano.

Os vereadores precisam cobrar a prefeitura e as secretarias a respeito das metas, e não ser apenas um jogo político focado nas próximas eleições, os vereadores precisam dar exemplo e não serem apenas mais um peso para a sociedade paulistana.

Devemos melhorar a interlocução com a sociedade, ouvindo a cidade em todos os aspectos, não apenas fazendo audiências públicas em horários onde a maioria dos munícipes estão trabalhando, mas de forma digital, de forma descentralizada e de forma organizada para que todos aqueles que desejam ser ouvidos, que sejam ouvidos.

Não é apenas pela internet, que apesar de ser ampla, não atinge a todos da cidade, seja por acesso, incentivo ou disponibilidade de smartphones ou computadores para acessar a internet. Soluções como totens com acesso a câmara podem melhorar essa escuta, mas antes precisamos reduzir gastos, e não apenas gerar novos.

Mas talvez seria muito bom se viéssemos reduzir mais, nossa proposta é a descentralização da câmara através de nossos pontos avançados, para ouvir, ver, sentir e fazer parte da população, e não tornar do nosso coletivo uma elite que não faz parte da vida orgânica do município.

Se você acredita ser possível reduzir em até 30% dos valores de gastos atuais com a Câmara de Vereadores do Município de São Paulo, vote 18918 e compartilhe com seus amigos e familiares. Sabemos como tornar a Câmara de Vereadores do Município de São Paulo mais sustentável, e vamos fazer isso com o seu apoio e participação ativa.

Equipe Tereza Miguel
Vereadora, 18918
Rede Sustentabilidade

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas